Resinorte

1 Março 2012 - 19:15:00
37 colaboradores da RESINORTE concluíram com sucesso o processo de reconhecimento, validação e certificação de competências (RVCC)

Como forma de reconhecer o empenho e dedicação dos seus colaboradores, a RESINORTE procedeu hoje à entrega de diplomas aos 37 adultos, que no passado mês de dezembro, completaram a certificação de competências de nível básico e secundário no Centro de Novas Oportunidades (CNO) Qualidade Basto. A cerimónia, realizada no Pólo do Ave da RESINORTE, pelas 13h00, contou com a presença da Administração.

Com esta formação, a RESINORTE apostou na realização de processos de reconhecimento, validação e certificação de competências (RVCC) no âmbito do projeto Novas Oportunidades, de forma a potenciar e mobilizar o espírito de aprendizagem ao longo da vida nos seus colaboradores. O esforço da equipa envolvida, em articulação constante com os Recursos Humanos da RESINORTE, permitiu a conclusão de todo este processo com sucesso.

O projeto resultou da parceria da RESINORTE com o CNO da Entidade Empresarial Municipal Qualidade de Basto, celebrada a 7 de março de 2011 com a assinatura do Protocolo de Cooperação.

Novas oportunidades

FORMANDOS RECONHECEM APOSTA DA RESINORTE NA VALORIZAÇÃO DOS SEUS ATIVOS

Tendo como principal objetivo a progressão na carreira, vários colaboradores da RESINORTE apostaram na sua formação, agarrando a oportunidade que a empresa lhes proporcionou com dedicação e entusiamo:

Maria Rosa Machado, de 41 anos e atualmente a exercer funções de auxiliar de limpeza, decidiu apostar na sua formação com o objetivo de “aprofundar conhecimentos com vista a mudança das funções exercidas no futuro”, considerando de grande relevância para esse processo as “aulas de informática”.

Por seu lado, o cantoneiro de 43 anos, José Abreu, considerou esta formação como um ponto de partida para “aumentar os seus conhecimentos, de forma a possibilitar mudanças no futuro”. Considerando estar agora “mais informado e atualizado”, José Abreu acha que todo o processo foi importante, chegando mesmo a afirmar que “gostou de tudo”.

Com o objetivo de “tentar assegurar o futuro, adquirindo novos conhecimentos, maiores habilitações, estando mais apto para o desempenho das funções” Flávio Azevedo, de 40 anos, decidiu apostar na formação promovida pela RESINORTE. Exercendo atualmente funções de porteiro, gostou “especialmente da temática do ambiente”.

 Já Armando Silva, considerou o trabalho final como o maior desafio de seu percurso formativo. O supervisor de 43 anos, viu nesta formação uma forma de “melhorar as qualificações, com vista a precaver o futuro e de adquirir novos conhecimentos para melhor acompanhar os filhos na escola”. Armando considera que “dada a conjuntura atual do país, senti necessidade de aprofundar conhecimentos bem como de adquirir novas habilitações”.

João Silva, não vê esta formação como um fim, mas como uma oportunidade para “tirar proveito dos conhecimentos obtidos, para não sentir que o esforço foi em vão”, de forma a “investir mais em formação no futuro”. O encarregado geral de 40 anos viu em todo este processo uma “forma de preparação para o futuro e eventual mudança de funções”.

Aprende a separar

Fale Connosco

Concurso de Natal

Arquivo de notícias

Links de interesse