Resinorte

A decomposição da fração orgânica dos resíduos depositados em aterro forma um gás incolor e insolúvel em água − o biogás.

O biogás é composto principalmente por metano (CH4) (50-60%) e dióxido de carbono (CO2) (30-40%); é ainda constituído por aproximadamente 5% de outros gases, nomeadamente hidrogénio, azoto, sulfureto de hidrogénio, monóxido de carbono, oxigénio, entre outros.

O biogás é um gás corrosivo, sendo o elemento mais corrosivo presente no biogás o sulfureto de hidrogénio (H2S), que confere um odor agressivo caraterístico ao biogás “odor a ovos podres”.

A quantidade de biogás produzido pela massa de resíduos varia ao longo do tempo, e pode ser influenciada por diversos fatores: composição dos resíduos urbanos, teor de humidade, temperatura, pH, condições climatéricas, permeabilidade do material de cobertura, grau de compactação dos resíduos, idade do aterro sanitário, entre outros.

O biogás é excelente do ponto de vista do aproveitamento energético, pois é de fácil combustão conferindo-lhe um valor energético elevado, e de natureza não poluente.

O aproveitamento do potencial energético contido no biogás tem como objetivos:

Reduzir a emissão de gases com efeito de estufa;

Promover a aplicação da Diretiva Europeia sobre a produção de eletricidade de origem renovável, de acordo com a qual Portugal tem como objetivo, para 2010, satisfazer 45% das suas necessidades de eletricidade através de fontes renováveis;

Melhorar os índices de sustentabilidade económicos e ambientais dos sistemas multimunicipais de tratamento e valorização de RU.

O biogás que é produzido nos aterros sanitários da RESINORTE, é captado através de uma rede de drenos verticais e conduzido até aos queimadores de biogás onde são queimados todos os gases. Isto resulta na redução do metano presente no biogás e na sua conversão em dióxido de carbono e vapor de água.

A RESINORTE tem em funcionamento, desde dezembro de 2011, a central de valorização energética de biogás do aterro sanitário de Codessoso. Um investimento na ordem de 950.000 euros que prevê uma produção de 5.740 GWh anuais. Esta central produz em simultâneo energia elétrica e térmica, sendo que a última é utilizada para o aquecimento das instalações. Através desta unidade, é possível promover o aproveitamento energético do biogás, para o efeito, foi instalado um motogerador com potência nominal de 800 kW. O objetivo principal é a produção de energia elétrica a partir de biometano proveniente da decomposição dos resíduos urbanos. A unidade instalada consome cerca de 350 m3/h de biogás com um teor de metano na ordem dos 52%, sendo esta quantidade suficiente para alimentar 1.400 habitações.

Para março, está previsto o aumento do aproveitamento energético de biogás a partir da execução de 15 furos na massa de resíduos da célula já selada.


Aprende a separar

Fale Connosco

Concurso de Natal

Arquivo de notícias

Links de interesse